Header Ads

Conheça a história da perigosa Serra do Rio do Rastro



Uma das rodovias mais bonitas do país é ponto turístico e um desafio aos motoristas de caminhão que trafegam na região sul de Santa Catarina.

A beleza que encanta é a mesma que assusta, o trecho de curvas da Serra do Rio do Rastro é marcada por eventos naturais que dificultam o deslocamento na rodovia. Chuvas, neblina, deslizamentos e até mesmo o gelo são comuns na região.

Há dois séculos atrás, a serra conhecida como "Serra do Doze" era rota de tropeiros, que montados em mulas, faziam a transposição do trecho carregando gado e charque gaúcho para o Paraná e São Paulo.




Em 1950, no governo de Getúlio Vargas, iniciou-se a construção da rodovia que conhecemos hoje como SC 390. Sem acesso à ferramentas avançados, o trecho mais sinuoso de 8 km foi construído na base da picareta.



Entre os anos de 1984 e 1986 a rodovia recebeu a pavimentação asfáltica, possibilitando assim mais agilidade e segurança na travessia.

Em 2002, foi inaugurada a iluminação da rodovia, fazendo com que o local ficasse ainda mais espetacular.

O trecho principal, que inicia a subida em Lauro Müller e o fim da serra, em Bom Jardim da Serra, possuem de cerca de 25 km com 284 curvas.

Em 2012, o local ganhou o título de uma das “estradas mais espetaculares do mundo” por um site espanhol, ficando bem a frente das demais concorrentes.


 

 
A serra que atrai milhares de turistas por ano, exige manutenção constante e é interditada com frequência por causa de eventos naturais, como risco de deslizamentos e congelamento da pista.


Tecnologia do Blogger.