Header Ads

PRF acusa caminhoneiros de mau uso do Rádio PX



Depois de grandes polêmicas envolvendo as multas aplicadas a caminhoneiros pela PRF, um novo assunto vira tema nas estradas do país. Trata-se do uso do Rádio PX, a forma mais antiga de comunicação nas estradas, usadas por milhares de caminhoneiros para interagir com outros motoristas, além de relatar problemas na estrada e auxiliar colegas.




Hoje, no Jornal Bom Dia Brasil (VEJA VÍDEO), uma reportagem acusa os caminhoneiros de fazerem mau uso do aparelho, avisando os outros caminhoneiros sobre a presença de policiais na pista, e até informando a quem possua drogas nos caminhões para esconder os ilícitos da fiscalização. A PFR também diz na reportagem, que esse uso do PX pelos caminhoneiros ajuda até mesmo a traficantes, denegrindo mais a já castigada imagem dos caminhoneiros.

O uso do rádio PX por caminhoneiros tem décadas nas estradas, é um aparelho para vencer a solidão de uma jornada dura nas boleias, com pouco ou nenhum conforto, longe dos familiares, e sem nenhuma previsão melhoria por parte dos governos.



A profissão Caminhoneiro está tendo a imagem cada vez mais massacrada frente ao grande público, que se deixa levar pelo que é mostrado na TV, e acaba achando que todo caminhoneiro é mau caráter. Mas, quem está do outro lado, o caminhoneiro, sabe que isso não é verdade. Em sua grande maioria, são homens e mulheres honestos, trabalhadores, correndo atrás do sonho de ter uma vida melhor, de comprar o próprio caminhão. Uma pequena minoria, assim como em outras profissões, acaba denegrindo a imagem do estradeiro, e essa generalização da imagem pela minoria faz muito mal.

É triste, mas a realidade mostra que existem caminhoneiros que se drogam, mas também há policiais, juízes, desembargadores, políticos, repórteres, famosos, jogadores de futebol, e tantos outros profissionais que fazem o uso de todo tipo de droga. Isso não é um problema desta ou daquela profissão. É um problema social, do país como um todo.

Mostrar um problema de escala nacional como se fosse de uma única profissão é uma forma torta de jornalismo, sem ética, totalmente parcial. Infelizmente nossa sociedade, como um todo, está passando por uma grande inversão de valores.




Depois dessa reportagem, é bem provável que a fiscalização sobre o uso do Rádio PX aumente nas estradas, por isso é bom regularizar-se. Procure a Anatel, que cobra taxas sobre o uso de aparelho rádio comunicador, mas que impede que o rádio seja recolhido pela PRF em fiscalizações.


Como obter autorização para o uso do Serviço de Rádio do Cidadão e do Serviço de Radioamador



1) Informações Gerais


a) O Serviço Radio do Cidadão conhecido como PX, é regido pela Norma 01A/80, aprovada pela Portaria n° 218-MC, de 23 de setembro de 1980, disponível no endereço www.anatel.gov.br. É o serviço de radiocomunicações de uso compartilhado para comunicados entre estações fixas e/ou móveis, realizados por pessoas naturais (fisicas), utilizando o espectro de freqüências compreendido entre 26,96 MHz e 27,61 MHz;


b) Quanto ao Serviço de Radioamador é regido pela Norma 31/94, aprovada pela Portaria n° 1278-MC, de 28 de dezembro1994, publicada no Diário Oficial da União de 30.12.94, também disponível no endereço www.anatel.gov.br. Para executar este serviço se faz necessário que o interessado seja titular do Certificado de Operador de Estação de Radioamador – COER;


c) Para obter o COER, o interessado deve se submeter a exames de capacitação operacional e técnica, realizado de acordo com agenda prevista pela Anatel. O Escritório Regional ou a Unidade Operacional da Anatel mais próxima de sua residência, estão em condições de dar maiores informações.


2) Visando desburocratizar e agilizar os procedimentos de autorizações para os Serviços Radioamador e Radio do Cidadão, existem duas opções para obter a autorização:


a) via “internet” www.anatel.gov.br permitindo assim que o interessado obtenha a autorização de suas estações em sua própria residência ou ambiente de trabalho. O usuário deve se auto-cadastrar no sistema de segurança (SIS) no primeiro acesso; ou


b) por meio de formulário encontrado no endereço www.anatel.gov.br, Serviços de Telecomunicações – Formulários – Formulário de Serviços Privados – Requerimento Serviço Rádio do Cidadão ou Radioamador, ao qual deverá ser juntada cópia autenticada da Carteira de Identidade (RG) e o número do Cadastro das Pessoas Físicas (CPF), e enviar para Ánatel do seu Estado.


3) Para exploração dos serviços em questão e da licença para funcionamento da estação deverão ser pagos os encargos e taxas abaixo relacionadas:


a) Preço Público pelo Direito de Exploração de Serviços de Telecomunicações e pelo Direito de Exploração de Satélite – PPDESS – R$ 20,00;


b) Taxa de Fiscalização de Instalação – TF1 – R$ 33,52 para cada estação fixa e R$ 26,83 para cada estação móvel;


c) Preço Público pelo Direito de Uso de Radiofreqüências – PPDUR – R$ 10.00;


d) Taxa de Fiscalização de Funcionamento – TFF, no valor de 50% de cada estação, cobrada anualmente com vencimento para 31.03.


Veja também:


Quem são os jovens caminhoneiros?





                                                                                                       
Tecnologia do Blogger.