Header Ads

Pesquisa mostra os novos perfis dos caminhoneiros

Levantamento feito pela CNT (Confederação Nacional do Transporte), mostra os novos perfis dos caminhoneiros brasileiros, a pesquisa ainda colheu diversas informações sobre a vida profissional e pessoal dos motoristas. Foram entrevistados cerca de 1.066 motoristas (autônomos e contratados), do dia 4 ao dia 14 de novembro de 2015.
Pesquisas desse gênero são de extrema importância por vários fatores, uma vez que o perfil dos caminhoneiro está mudando nos últimos anos. Assim empresas de vários setores e a própria sociedade como um todo podem se adaptar às novas realidades nas estradas brasileiras.


A pesquisa mostrou que a média de idade dos caminhoneiros está em 44,3 anos e a renda mensal média é de R$ 3,9 mil. O levantamento também revelou que caminhoneiros autônomos recebem mais que motoristas contratados, onde um caminhoneiro autônomo recebe na média de R$ 4,1 Mil e um contratado R$ 3,4 mil.

O tempo médio de uso dos caminhões é de 13,9 anos, onde veículos de profissionais autônomos é de 16,9 e de frotas, 7,5 anos. Por mês um caminhoneiro roda em média 10 mil km e o tempo de trabalho diário médio fica em 11,3 horas. 86,8% dos entrevistados disseram que a demanda de serviços caiu no ultimo ano, o principal motivo alegado por 74,1% deles foi a crise econômica.

Um dado que chama a atenção na pesquisa é o de endividados, cerca de 44,8% têm alguma dívida a ser paga. O principal fator apontado por 46,4% dos caminhoneiros em relação à dificuldades na profissão é o custo do combustível, 40,1% disseram que o preço do frete não cobra as despesas. Outro ponto que preocupa grande parte dos motoristas, 60,6%, é a insegurança nas rodovias brasileiras. 34,9% apontou que a profissão é desgastante e outros 32,1% que tem pouco convívio familiar.Já os pontos positivos citados na pesquisa estão a possibilidade de conhecer novos lugares(47,0%), a facilidade de criar novas amizades (33,0%) e a profissão ser desafiadora e aventureira (28,5%).

Sobre a Lei do Caminhoneiro, de n° 13.103, sancionada pela presidente afastada Dilma Rousseff, 88,4% tem conhecimento sobre ela, mas 34,7% não concordam e não cumprem ela. Outra reclamação é as condições das rodovias, que atualmente se encontram em péssimas condições.

Já sobre saúde, 24,0% disseram já terem utilizado algum medicamento controlado, sendo que grande maioria (57,7%) era contra a hipertensão. Cerca de 60,0% dos pesquisados afirmaram consumir bebidas alcoólicas apenas nos finais de semana. A pesquisa também relatou que 45,6% dos entrevistados já receberam oferta de drogas ou substâncias ilícitas, sendo que dos entrevistados, 12,1% já fizeram uso.

A pesquisa concluiu que o perfil dos caminhoneiros brasileiros são de profissionais que estão em média à 18 anos na profissão e tem mais de 44 anos de idade. A frota de caminhões, principalmente dos profissionais autônomos, é composta por veículos com muito tempo de uso em relação à de outros países. O levantamento também apontou que a renda mensal dos caminhoneiros é baixo e os mesmos enfrentam muitas dificuldades para continuar na profissão. A má qualidade das rodovias brasileiras e a Lei do Caminhoneiro é apontada como principal fator que dificulta a atuação nessa área.





Veja também:


Tecnologia do Blogger.